Plantão Policial

Covid-19: casos diários caem para menos de 100 mil na Coreia do Norte

País registrou, desde o fim de abril, cerca de 3,36 milhões de casos

Porto Velho, RO - A Coreia do Norte registrou menos de 100 mil novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, pela primeira vez desde que o país confirmou oficialmente, em 12 de maio, a presença do SARS-CoV-2, informou a imprensa estatal.

Pouco mais de 88,5 mil pessoas desenvolveram possíveis sintomas de covid-19 nessa sexta-feira, cerca de 20.500 menos do que no dia anterior, publicou hoje a agência de notícias oficial KCNA.

A Coreia do Norte já registrou, desde o fim de abril, cerca de 3,36 milhões de casos de pessoas com "febre" (termo usado pelo regime para casos suspeitos, devido à falta de capacidade de teste).

Cerca de 3,15 milhões já se recuperaram e perto de 203 mil pessoas estão atualmente recebendo tratamento, segundo a KCNA.

A agência elogiou a resposta das autoridades ao novo coronavírus, que inclui confinamentos em municípios e centros de trabalho, e considera que a queda gradual de novos casos comprova o sucesso.

No entanto, imagens obtidas por satélite ou captadas a partir das fronteiras com a Coreia do Sul ou com a China sugerem que não houve confinamento e que os cidadãos teriam sido aconselhados a apenas sair de casa para trabalhar e quando fosse estritamente necessário.

Os números publicados indicam uma propagação surpreendentemente rápida do novo coronavírus (13,6% da população nacional já teriam sido infetados) e uma mortalidade relativamente baixa em um país que não tem vacinas: apenas 69 mortes.

Os serviços de inteligência sul-coreanos acreditam que muitas dessas "febres" podem ser outras doenças, como sarampo ou febre tifoide.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu ao regime que partilhe dados sobre o surto e manifestou preocupação sobre os efeitos que a covid-19 pode ter numa população que já sofre de outros problemas de saúde.

Especialistas acreditam que a Coreia do Norte, que não administrou uma única vacina e teve as suas fronteiras fechadas desde o início de 2020, não está disposta a aceitar doações de imunizantes contra a covid-19.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Plantão Policial