Morte da ciclista Helem Tayna causou revolta




Na delegacia, ao realizar o despacho, o delegado ratificou a voz de prisão ao condutor da BMW.

O relato. Quem passava na noite de segunda-feira (28) na famosa rotatória dos encontros das Avenidas Imigrantes com Guaporé, na capital Rondoniense, ficou extremamente consternado com a cena – o corpo da jovem ciclista, Helem Tayna de 18 anos, dilacerado pelas rodas de uma carreta.



O motorista da carreta, informou que seguia na Avenida Guaporé, e antes de chegar na rotatória percebeu a presença da ciclista. Em uma rápida fração de segundos, surgiu um veículo modelo BMW. A ciclista foi atropelada por tal veículo e acabou sendo jogada para debaixo das rodas da carreta, onde o corpo sofreu dilaceração.

O socorro médico foi acionado com brevidade e viaturas do Corpo de Bombeiros. Infelizmente, a médica informou que a vítima já estava em óbito. A partir deste momento, policiais chegaram ao local e fizeram todo isolamento da área para os trabalhos periciais.

O condutor da carreta, de 54 anos, se prontificou a realizar o teste do bafômetro, tendo como resultado 0,00mg/l. Já o condutor o veículo BMW que é advogado, se recusou a ser submetido ao teste de bafômetro. Segundo a Polícia Militar, consta em registro policial que o suspeito apresentava sinais visíveis de embriaguez ao volante, como: odor etílico, desordem nas vestes, afirmativa do mesmo em ter ingerido bebidas alcoólicas cerca de 30 minutos antes de se envolver no sinistro. Em razão dos fatos narrados no boletim de ocorrência, o advogado recebeu voz de prisão.

O condutor da carreta, de 54 anos, se prontificou a realizar o teste do bafômetro, tendo como resultado 0,00mg/l. Já o condutor o veículo BMW que é advogado, se recusou a ser submetido ao teste de bafômetro. Segundo a Polícia Militar, consta em registro policial que o suspeito apresentava sinais visíveis de embriaguez ao volante, como: odor etílico, desordem nas vestes, afirmativa do mesmo em ter ingerido bebidas alcoólicas cerca de 30 minutos antes de se envolver no sinistro. Em razão dos fatos narrados no boletim de ocorrência, o advogado recebeu voz de prisão.

No local da morte da vítima, a população se revoltou após a chegada de um outro homem, ao qual se apresentou como advogado. Palavras de baixo calão foram proferidas, e a população pedia uma ação da polícia, até porque o local estava isolado, com fita zebrada, e o advogado adentrado sem autorização.

Além disso, o advogado chamou o cliente para e repassou algumas orientações, o que novamente a população reagiu. A identificação da ciclista só foi possível nesta terça-feira (29). Na delegacia, ao realizar o despacho, o delegado ratificou a voz de prisão ao condutor da BMW.



Fonte - Anderson Nascimento - Newsrondonia 



Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Plantão Policial