O dia 16 de novembro na história de Porto Velho, Rondônia, Brasil e Mundo

NOVEMBRO

O DIA NA HISTÓRIA

Lúcio Albuquerque

WhatsApp 69 99910 8325

BOM DIA, 4ª feira, 16 de NOVEMBRO  

COMEMORA-SE

Dia Nacional da Amazônia Azul, Dia do Não Fumar, Dia Internacional da Tolerância (ONU), Dia Nacional dos Ostomizados, Dia Nacional de Atenção à Dislexia, 

Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Dia Nacional do Policial Federal.

Católicos lembram São Mateus Evangelista, Santa Margarida da Escócia. Santa Gertrudes, Santa Inês de Assis. Santo Hugo de Lincoln. São Elfrico de Abingdon (Anglicanos e Ortodoxos)

RONDÔNIA

1916 – Fundada a 1ª entidade das artes cênicas, em Porto Velho, a Associação Dramática, Recreativa e Beneficente.

1955 - O governador do Território do Guaporé José Ribamar de Miranda, por telegrama, elogia o Ministro da Guerra Henrique Lott, pela ação contra o golpe contrário à posse do presidente JK.

1973 – O Basa inaugura sua agência em Ji-Paraná.

BRASIL

1894 — Nasce Henrique Teixeira Lott, ministro da Guerra que em 1955 desarticulou golpe  cívico-militar contra posse do presidente JK (m. 1984). 

Em 1955 - Inicia a 1ª Feira do Livro de Porto Alegre. 

MUNDO

1855 — O explorador David Livingstone descobre as Cataratas de Vitória no que é hoje a Zâmbia-Zimbábue. 

1938 — O químico Albert Hofmann sintetiza o LSD pela 1ª vez. 

1945 — Fundação da Unesco. 

1965 – A espaçonave Vênus III, da pela União Soviética, pousa em Vênus, a 1ª nave a aterrissar em outro planeta. 

FOTO DO DIA

Poucos sabiam seu nome de batismo: Cráutida de Souza, mas poucos moradores de Porto Velho até o final dos anos 1990, poderiam dizer que nunca ouviram falar da “Dona Cotinha” (FOTO),  a benzedeira e parteira no Bairro do Areal, a cujas mãos e orações recorriam muitas pessoas, um coração enorme, como tantas outras pessoas que, e lamentavelmente, estão deixando de existir, rezavam, e poucos ainda existem.

“Dona Cotinha tinha um coração  enorme atendia a qualquer um até  na madrugada. Rezava  contra: quebranto, espinhela caída, dor se cabeça, de dente e tudo que era dor. Colocava a criança na posição certa dentro do ventre, pegava desmentiduras, luxações e carne trilhada. 

Mas o ponto forte era tirar, através de reza, as espinhas de peixe atravessadas nas gargantas dos beradeiros. Faleceu em 1998”, lembrou uma de suas clientes, Joelma Rodrigues no site Saudosismo portovelhense.



Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Plantão Policial